terça-feira, 7 de julho de 2009

Erguer de Novo

Erguer de Novo

Levantai as hirtas lanças
Erguei bem alto os gládios
Sobranceia a eterna querela
Aumenta o gáudio da contenda.

Em frente destemido
É já pressentido o perigo
Mas a confiança impera
Na fé da esperança eterna.

Sobremaneira avança
Vê já o início no fim
À vitória.

1 comentário:

  1. excelente. apliquemos este poema à feitura dos trabalhos que faltam!

    ResponderEliminar